Festival Fartura Brasília teve mais de 5 mil pessoas

Festival Fartura Brasília teve mais de 5 mil pessoas

Cerca de cinco mil pessoas prestigiaram a primeira edição do Festival Fartura – Comidas do Brasil Brasília, realizada neste fim de semana, dias 23 e 24 de março, no Pontão do Lago Sul. O esperado evento serviu cerca de 10 mil pratos, um total aproximado de 3 toneladas de alimentos. O evento reuniu mais de 60 atrações, com chefs e produtores e pesquisadores de gastronomia de todas as regiões do país, além de diversas atrações musicais e culturais.

Na ala de estandes Chefs e Restaurantes, um dos destaques foi o chef brasiliense Thiago Paraíso, do Ouriço, que serviu uma costelinha de porco com molho de jabuticaba e batatas salteadas. O bobó de camarão crocante do chef alagoano Jonatas Moreira também esteve entre os mais pedidos. E o maior sucesso do festival foram os hambúrgueres do Gil Guimarães, que agradaram em cheio ao público.

Evento no pontão do Lago Sul reuniu mais de 60 chefs, produtores e especialistas da gastronomia de todas as regiões do país

Quem visitou o espaço Cozinha ao Vivo teve a oportunidade de aprender a receita e degustar na hora um prato com assinatura de MasterChef. É que Pablo Oazen, de Juiz de Fora (MG) e vencedor da edição MasterChef Profissionais 2017, esteve por lá ensinando o passo a passo de sanduíche de fígado de boi com cebola caramelizada, cerveja preta e maionese de ervas. Outro ponto alto foi o timbale de linguado com musse de cogumelos frescos ao molho de prosecco e limão-siciliano, da chef Renata La Porta, de Brasília (DF).

No Espaço Conhecimento, especialistas de todo o país compartilharam experiências com o público, desde os desafios da produção de espumantes do Sul do país, com a sommelière Silvia Gonzaga; os cafés de origem, com o q-grader do Sebrae-MG; os tradicionais doces goianos do chef e pesquisador Gilmar Borges, de Pirenópolis (GO); a bolinho de mandioca poheu, da chef indígena Kalymaracaya, nascida na aldeia do Bananal, em Aquidauana (MS); e o resgaste de causos da culinária brasileira, com o pesquisador gastronômico Breno Lerner, autor do livro “O ganso marisco e outros papos de cozinha”.

O Espaço Interativo, por sua vez, teve diversas aulas. Entre elas, nhoques e pastas feitas à mão, com o chef Luiz Jacob, de São Paulo (SP); o doce gaúcho chimia, com a chef Liliana Andriola, do Mandarinier Gastronomia, de Porto Alegre (RS); e o célebre pain d’epice com caramelo, tradicional bolo francês de especiarias, ensinado pela pâtissier Ana Clóris, do Anita Pâtisserie, de João Pessoa (PB).

Para levar um gostinho do Fartura pra casa, o público bateu ponto no espaço Produtos e Produtores. Teve cachaça com jambu de Sinimbu, de Belém; e Licores do cerrado e Kombuchas, da Fazenda Taboquinha, de Padre Bernardo (GO), entre outras gostosuras.

No palco, o setlist privilegiou artistas de Brasília, como o saxofonista (e cozinheiro) brasiliense Esdras Nogueira, da banda Móveis Coloniais de Acaju; o trio Muntchako e o grupo de choro Choro Livre. A programação cênica e itinerante animou o evento durante os dois dias, com a Boneca Gigante Fartura, a Trupe Raiz do Circo e o Circo Rebote.
O Festival Fartura – Comidas do Brasil está presente em todas as regiões do Brasil e, em 2019, passa ainda por Porto Alegre, São Paulo, Tiradentes, Belo Horizonte, Fortaleza e Lisboa.

Sem comentários

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.